Nuvens, bombas e Piratas do Céu: Last Exile: Ginyoku no Fam !

Antes de começar a assistir Last Exile: Ginyoku no Fam, me perguntei se eu poderia esperar nessa série nova o que foi tão legal na anterior. Com exceção, claro, do uso de 3D do estúdio Gonzo (que não tem nada a ver com o título desse blog), que para mim foi lastimável. Mas junto com uma nova temporada, vem novos conceitos (e novos personagens e uma nova história – essa segunda série de Last Exile não tem ligação com a primeira). Vejamos o que o anime que para mim é um dos mais esperados da temporada tem a oferecer. Apertem os cintos!

Ah, essa ceninha do começo. Tem quem goste, não é? E então a abertura. Que me agradou bastante, tanto a música quanto a sequência de animação em si. Sem dúvida ficarei em alerta esperando a versão full sair e isso que nem sou tão fã de música japonesa assim, mas a Maaya Sakamoto nunca falha. As primeiras cenas são bem feitas, com a tensão aumentando levando a um conflito entre a Vanship pilotada pelos protagonistas – Fam e Giselle – com outra aeronave, a qual se referem como “Peixe do céu”. É uma batalha que serve apenas para introduzir os personagens, o conceito de batalha aérea e que aparentemente não tem relevância alguma pro enredo principal, está ali apenas para prender o espectador logo do início. E de fato foi bem sucedida nesse aspecto. Quando um episódio de anime começa desse jeito, com cenas de ação com um fundo musical no mínimo interessante, ele raramente falha em prender a atenção inicialmente. Mas como nem tudo é conflito e trilhas sonoras cantadas bonitinhas, é melhor não fazer nenhum julgamento ainda. A cena seguinte no Grande Lago é digna de nota. É bonita e  dá uma idéia do que pode estar por vir, já que há a expectativa de que pode haver algum imprevisto no tratado de paz entre o Reino Turan e a Federação Ades. O que, adivinhem? De fato acontece e o líder da Federação Ades ao invés de aparecer para iniciar as negociações relativas ao tratado de paz, aparece para declarar guerra ao Reino Turan (“que babaca!”). Uma batalha aérea (na verdade, uma tentativa de massacre por parte da Federação Ades) acontece e é aí que Fam e Giselle (os protagonistas, você sabe) oferecem uma solução às princesas Millia e Lillliana, do reino de Turan. “A escolha é sua. Morra aqui ou sobreviva conosco os Piratas do Céu” (Jesus. Morrer ou ir com piratas. Decisão difícil…). Evidentemente, Lilliana responde positivamente apesar dos protestos de Millia, que compreende quando a irmã mais velha pergunta quem vai proteger Turan caso elas morram ali. Após esse sinal positivo, Giselle atira um contrato misterioso dentro da aeronave real e lança um sinal ao céu para que seus outros companheiros piratas apareçam. A cena que seguinte com os piratas dando rasantes no céu com seus vanships é bonita. Muito bem animada, como o episódio como um todo até aqui. A batalha continua (sério… 80% desse episódio é composto de batalhas aéreas. Não que seja uma coisa ruim no contexto, mas fica repetitivo falar sobre) até quase o fim do episódio, quando Dio, um dos piratas (que por sinal estava presente na primeira série) entra na Lasas (principal aeronave de Turan) e tem a idéia de derrubá-lo dos céus e forjar a morte das princesas para que elas parem de ser caçadas por enquanto. O episódio termina com a decisão da Princesa Lilliana de ir caçar Luscinia, o líder da Federação Ades.
O encerramento tem uma música até decente e calma, mas a sequência de imagens estáticas o arruinaram para mim. É detestável quando um estúdio usa imagens estáticas em aberturas ou encerramentos visando poupar dinheiro com a animação.
Por fim, o primeiro episódio da nova série de Last Exile é decente e merece uma chance. A animação do Gonzo está boa e os efeitos em 3D estão menos, digamos, estranhos. O clima de aventura está presente ao longo de todo o episódio e acho difícil alguém se entediar assistindo-o, com tantas cenas de ação e a ausência de cenas desnecessárias. Os fãs de batalhas aéreas em específico, vão ver aqui um prato cheio para diversão.

Como esperado, o segundo episódio tem um início mais lento (lembram quando eu disse antes que as cenas de ação iniciais do primeiro episódio não tinham relevância pra história e só serviam pra prender o espectador logo de cara? Pois é. Como é o segundo episódio e os espectadores já estão presos, pros roteiristas esse recurso não é mais necessário). A Princesa Lilliana despacha Millia junto com Fam e Giselle para Iglasia, a cidade real de Turan. Onde Millia deve entregar uma mensagem ao pai a todo custo. Ela relutantemente aceita. Nos primeiros cinco minutos que se seguem a única coisa digna de nota (levando em consideração o fato de que eu não vou ficar narrando cada diálogo do episódio, não é? Seria necessário um post gigantesco…) são as cenas no céu, que está lindo. Quem lê isso pode pensar “Caramba, o que tem de tão bonito num céu? Todo anime tem um!” É, eu sei. Mas o céu em Last Exile é mais bonito, ele é especial. Provavelmente pelo anime girar em torno de batalhas aéreas. Fam, Giselle e Millia chegam em Iglasia em segurança, e após Millia entregar a mensagem ao pai numa cena bastante emocional que deixaram meus olhos cheios de lágrimas (só zeus pode me julgar), a Federação Ades e suas aeronaves está prestes a atacar Iglasia, porém, Tura e sua frota, incluindo o supostamente afundado Lasas onde a Princesa Lilliana se encontra lançam um ataque surpresa contra eles. No meio da batalha, muito bem feita tanto em animação quanto em trilha sonora, o Lasas é derrotado e a Princesa Lilliana capturada. Foi triste, é impossível não torcer por Turan nessa cena. De volta a Iglasia, Fam, Giselle e Millia partem para Royal Villa, a duzentas milhas de distância, como o pai da mesma havia orientado. Assim que partem, eles encontram Dio, que os alerta que a princesa Lilliana foi sequestrada e que provavelmente está no Impetuous, a principal aeronave da frota da Federação Ades e onde Luscinia está. Outra batalha aérea acontece a medida que eles tentam achar um modo de entrar no Impetuous e salvar a Princesa. Ao entrarem na aeronave e encontrarem Lusciania, um plot twist inesperado acontece. A Princesa Millia exige que a irmã Lilliana seja liberada e para isso uso a força, ao apontar uma arma para o líder de Ades. E é aí que Lilliana mostra que… sofreu alguma lavagem cerebral? Eu não entendi direito. Mas ela se revela como a chave pra trazer a aeronave (dá para chamar assim? Eu acho que não… mas na ausência de uma palavra melhor…) mística “Exile”. E ela o faz. Exile, que estava no espaço como se fosse um pedaço de uma estrela,  desce até a Terra. Dio olha para ela horrorizado e o Reino de Turan é completamente aniquilado. Não é mostrado o que aconteceu com a Lilliana, mas Millia, Fam e Giselle conseguem fugir do Impetuous. Aí, o fim do episódio. Num cliffhanger que vai me fazer roer as unhas pelo resto da semana.

IMPRESSÕES GERAIS
Com dois episódios fantásticos como esses, não dá pra ficar com expectativas baixas. Last Exile: Ginyoku no Fam tem tudo pra se sobressair nessa (fraca) temporada. O tema steampunk gerado de sci-fi misturado com uma atmosfera meio vitoriana dá um cenário legal ao anime. O clima de aventura e ação constantes também são pontos positivos. A animação vai bem, obrigada, e a trilha sonora também. Aliás, até agora, na minha opinião, tudo está melhor do que na primeira série. A única coisa que não gostei muito foi esse plot twist do nada, em relação à Lilliana ser a chave pra trazer Exile de volta. Achei um tanto forçado. Mas como ainda é o segundo episódio, é passável. Vejo o Gonzo se redimindo com essa série, já que não tenho gostado muito dos últimos trabalhos deles. Definitivamente, vale a pena checar esse anime.

Por fim, vamos ao protagonista. Alguma coisa é estranha nele/a. Essa que vos escreve não segue roteiros, apenas descreve o que viu nos episódios. E assistindo a eles sinceramente eu não consegui decifrar se o/a Fam é menino ou menina, apesar de se referirem a ele como “ela” uma vez. Pode ter sido uma piadinha, já que independente do gênero ele/a é bem andrógino. Se alguém que estiver lendo isso já assistiu ou leu sobre o caso, esclareça pra mim nos comentários, por favor. Ficaria agradecida.  =)

É isso! Tomara que vocês gostem e deixem suas impressões também.

Anúncios

10 respostas em “Nuvens, bombas e Piratas do Céu: Last Exile: Ginyoku no Fam !

  1. Saudações

    Julgando de forma clara o seu texto, Last Exile parece ser um anime bem recomendável. Ao menos, a ideia que acabou me sendo passada foi esta.

    Espero não estar sendo muito chato mas, mesmo seu blog sendo novo, você gostaria de fazer uma pareceria entre os nossos blogs? Achei muito interessante este texto, e prevejo que muitos destes deverão aparecer de sua parte, annebione.

    Grato por sua atenção. Desde já no anseio de sua resposta quanto à parceria entre os blogs.

    Até mais!

    • Sim, com certeza. Last Exile não veio pra mudar a vida de ninguém nem revolucionar a indústria dos animes, mas é uma boa fonte de entretenimento.

      Sobre a parceria, com certeza, por que não? Adicionarei seu blog ao blogroll 🙂

  2. Legal, vou acompanhar mais algumas postagens do blog e decidir se viro “cliente” aqui também.
    Só uma observação, a linguagem que você usa é bem fluida, mas se possível evite escrever blocos de texto tão grandes porque a leitura fica mais cansativa, sério, separar o texto em mais parágrafos não alterá o conteúdo e deixa o texto mai absorvível (se é que essa palavra existe).
    É só minha opinião, não estou dizendo que você tem que fazer isso ou algo do tipo.

    • Obrigada pela sugestão =) Ainda estou (não posso dizer “estamos” como é o natural, porque no momento a única pessoa que posta no blog sou eu mesma) no começo, mas é com esse tipo de feedback que pretendo melhorar ao passar do tempo =)

  3. sou um leitor imoralmente preguiçoso, mas vou cooperar com a escritora… Last Exile [não vi a serie anterior, tb da Gonzo] tá sendo sem duvida uma OTIMA EXPERIENCIA… pros OLHOS, com visuais muito bonitos bem montados e bom uso de CG… ou até mesmo pela historia, que dá um grande salto ao fim do segundo episodio… enfim, promete!! [a abertura mostra que vai ter muita coisa]

  4. Concordo com o post do RamomNF, separar mais o texto em mais parágrafos deixaria a leitura menos cansativa eim. Just saiyan.

    btw, nem assisti LE ainda, só pretendo ver o novo após ver o anterior. lóu

      • Eu ainda visito um pouco o twitter né? Eu li que conseguiram achar seu blog procurando por “Anne Bione” no google e fui tentar também. Só que achei pelo post do Netoin. *ta-dã*

        Eu soube, mas eu sou frescurento, sabe? Eu gosto de ver animes pela ordem de lançamento, mesmo que não tenham tanto a ver mais tarde. haha

        Anyway, darei uma conferida mais tarde. :~

  5. Foi um post sincero. Eu tenho que dizer: estava com muitas expectativas quanto a essa série (sou fã da versão anterior). E, ao contrário da maioria, era a única que estava esperando assistir (porque as outras eu nem conhecia). Mas, tirando o fato das ações terem aquele ar de “prólogo” (até esse segundo episódio)…Está tudo OK. Continuarei assistindo.

    P.S.: Acho que a Fam é uma menina mesmo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s