A vida e suas possibilidades em Daytripper

Em primeiro lugar, esse post inaugurará a seção “Gibis Fora do Japão” (Sim… porque HQ, graphic novel, mangá, gibi… é tudo a mesma coisa. Me processem) que tem a intenção de fazer reviews de gibis interessantes que não sejam japoneses pro pessoal que quer ampliar seus horizontes mas não sabe por onde começar. Se você só gosta de “mangá”, eu respeito, mas lamento. E você tem todo o direito de reclamar ou parar de ler o post aqui mesmo. Mas se você é daqueles que só procura uma boa história para ler, seja bem-vindo a essa nova seção!

E ela vai começar com nada mais, nada menos que Daytripper!

Daytripper, dos irmãos brasileiros Fábio Moon e Gabriel Bá foi publicado originalmente nos Estados Unidos pela DC Comics sob o selo Vertigo, dedicado a audiências mais maduras. No Brasil, é publicado pela Panini Books. Tem suas páginas em papel couché e oferece ao leitor a opção de comprar com a capa simples (reza a lenda. Eu só vi com capa dura) ou com capa dura. Em resumo, com toda a qualidade que merece.

A HQ conta a história de Brás de Oliva Domingos, filho de um famoso escritor brasileiro. Entre seus turnos como escritor de obituários para um jornal, ele sonha em seguir os passos de seu pai e se tornar um escritor de sucesso. Em cada capítulo há um certo rodízio de personagens, mas pode-se dizer que, além de Brás, seu melhor amigo e sua esposa estão sempre presentes.


Não é uma história do tipo puro entretenimento escapista. Não é algo que você lê, se diverte na hora e coloca de volta na estante. Daytripper faz você refletir sobre sua própria vida e, se você for mais sensível, até mesmo repensar alguns aspectos dela.

Cada capítulo termina com um acontecimento crucial na vida do protagonista e o seguinte recomeça alguns anos depois ou antes (Isso nem sempre fica claro, o leitor tem que estar atento) como se o que aconteceu no capítulo anterior não tivesse de fato acontecido, abordando assim as diversas possibilidades que a vida de uma pessoa tem e que um pequeno passo em falso pode mudar o seu futuro para sempre. A história segue essa linha até o final, mostrando a história de Brás do começo ao fim e fazendo o leitor se perguntar quando ela realmente começa. Daytripper prova aos céticos do grupo que acha que “toda história em quadrinhos que se passa no Brasil acaba sendo caricata” o quanto eles estão errados. E a verossimilhança de cidades reais do Brasil como Salvador e São Paulo é algo admirável. Pessoalmente, já estive em Salvador nos mesmos lugares apresentados na história e simplesmente me senti transportada para dentro dela. Como se eu estivesse lá vivenciando aquilo tudo. Para mim, foi uma experiência nova e valiosa. Daytripper não tem a pretensão de ser uma história de ação, romance ou de algum outro gênero. Ela retrata de forma magistral a vida comum de uma pessoa comum. E pode Esquecer os Slice of Life japoneses com os quais estamos acostumados, Daytripper vai além disso em realismo sem deixar de ser interessante. Sua simplicidade chega a um nível em que o protagonista poderia ser eu ou você. O lado psicológico dos personagens é muito bem trabalhado e conflitos internos estão presentes durante todo o decorrer da história. E não são abordados de uma forma super dramática e enfadonha, são de fato conflitos humanos abordados de uma forma humana. É difícil não sentir vontade de estar lá com os personagens nos momentos difíceis, porque a história tem um poder de imersão que poucas que já li tem.

A arte também merece atenção. O traço “cru” mas sem chegar a ser “sujo” combina muito bem com o realismo da história e os efeitos de cores cumprem bem sua função de adicionar emoção extra quando necessário.

Apesar de eu não acreditar muito em prêmios e vendas como base para definir a qualidade de uma obra, Daytripper ganhou o prêmio Eisner, o Oscar das histórias e quadrinhos, recentemente foi incluído na lista de melhores do ano da Amazon e, sinceramente, foi merecido. É uma história que com certeza vale a pena ser lida e relida e que você vai ter orgulho de ter em sua estante.

Abaixo segue um vídeo bastante inspirador produzido pela Saraiva Conteúdo com os autores mostrando seu estúdio, falando sobre
processo criativo etc. É interessante.

UTILIDADE PÚBLICA:
Pela internet, você pode comprar Daytripper em,
Comix | Liga HQ | Banca 2000 | Saraiva | Livraria Cultura | FNAC

Anúncios

2 respostas em “A vida e suas possibilidades em Daytripper

  1. Terei que linkar o seu post ao meu ^^. Ficou muito bom. (e mais completo que o meu.Sempre fico com o pé atrás de entregar algum spoiler..). Eu tenho uma suspeita quanto à Daytripper: aqueles nove capítulos do que poderia ter acontecido com o Brás não passaram de um sonho. Quer dizer, o amigo ainda está lá, a esposa e o filho, e ele se tornou um escritor. Bom,eu não sei bem…terei que reler pra confirmar isso. Mas, a história,pra mim, não passa de um continuum. (Da vida do Brás em pequenas porções…).

  2. Uma das melhores HQ q eu já li. Excepcional a análise feita, só que eu tenho um outro ponto de vista em relação aso capítulos e a estória. Pra mim cada capítulo conta um momento da vida de Brás, e o que ele poderia ter deixado de viver no futuro. Isso mostra ao leitor a beleza e o prazer em viver e como realmente vale a pena cada ano de nossas vidas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s